ESPECIAL CAVALEIROS DO ZODIÁCO

E aí galera, tudo bem com vocês?

CDZ

Nesse post especial vou falar de Cavaleiros do Zodíaco, que sem duvida alguma foi a primeira série que me prendeu na televisão, lembro que no seu auge a finada Rede Manchete exibia em dois turnos a animação e alguns momentos, ainda utilizou horários nobres, tanto foi o sucesso alcançado. As brincadeiras da escola, a conversa com os amigos, reuniões de família e tudo o que envolvia a infância naquele período era lembrado e muito discutido. Outra referência muito importante da época foram as revistas Herói, que contavam muitas histórias e curiosidades da animação, além de outros desenhos e séries do momento. Acredito que por se tratar de um desenho de ação (bastante sangue e violência) com referências da cultura grega, que até aquele momento nunca havia sido explorado, tenham conquistado tantos fãs em todo o mundo.

 

Um pouco da história

A história acompanha cinco guerreiros místicos denominados “Cavaleiros”  que lutam vestindo Armaduras Sagradas, derivando dos desenhos das várias constelações, as quais os personagens adotam como seus destinados símbolos protetores. Esses cavaleiros juraram defender a reencarnação da deusa grega Atena (Saori) em sua batalha contra outros deuses que querem dominar a Terra.

Tanto o mangá principal quanto a adaptação do anime fizeram muito sucesso em vários países europeus e latino-americanos, como França, Itália, Espanha, Portugal, México, República Dominicana, Peru, Argentina, Colômbia, Equador, Chile e Brasil. Quatro filmes foram mostrados nos cinemas japoneses em 1987-1989. O anime foi cancelado e ficou inacabado em 1989, deixando uma saga do mangá sem animação. No entanto, em 2002, a Toei Animation continuou o anime na forma de três séries de OVA (a última acabou em 2008), a fim de adaptar os arcos restantes do mangá, acompanhando este renascimento da franquia, um quinto filme foi exibido em 2004. Um sexto filme (que é em CGI) estreou no Japão no dia 21 de Junho de 2014, e teve sua estreia nos cinemas do Brasil em 11 de Setembro de 2014.

 

Algumas curiosidades

Quando Masami Kurumada estava no processo de criação do mangá, o nome do cavaleiro de pégaso seria Rin, e o título “Ginga no Rin” (Rin da Galáxia). Depois Kurumada mudou o nome do personagem para Seiya, por julgá-lo mais adequado, isto porque em kanji, Seiya significa “flecha estelar” (uma referência à constelação de sagitário, signo de Seiya e do próprio Kurumada). Finalmente, o título foi mudado para Saint Seiya porque os defensores de Atena seriam chamados de “santos cavaleiros.

 

No Brasil, o lançamento da série em 1994 foi responsável por mudar a maneira que o público assistia animes, desencadeando uma “anime-mania”. Em outros países latino-americanos (como por exemplo, no México e na Argentina) o sucesso também foi grande. Tanto o anime quanto o mangá foram lançados na China, Hong Kong e Taiwan nos anos 90, dando início à adoração da animação japonesa e do mangá nesses países.
A ideia de utilizar mitologia como pano de fundo serviu de inspiração para outros animes como Samurai Warriors e Shurato.

Pode afirmar-se que a série deu contribuições especiais no desenvolvimento da cultura japonesa de mangás e animes. É a mais importante e antiga origem para Doujinshi junto com Captain Tsubasa, que acabou crescendo numa subcultura periférica significativa de anime e mangá. Os grupos Doujinshi têm atualmente um grande número de membros no Leste Asiático, América do Sul e Oeste Europeu.

 

 

Apesar de ser baseada na mitologia dos zodíacos, a série apresenta elementos de diversas outras mitologias e Religiões. Essa mistura é explicada pelo Hipermito (uma teoria com informações sobre o enredo da série, lançado em 1988 com o objetivo de explicar dúvidas deixadas pelo anime e pelo mangá).

 

Os Cavaleiros de Ouro vêm de várias localidades espalhadas pelo mundo inteiro. E como representante brasileiro dentre os guerreiros dourados, temos o Cavaleiro de Touro, Aldebaran.  Talvez isso venha a explicar o “jeitinho” que ele deu pra deixar Seiya e seus amigos prosseguirem.

 

Uma coisa que sempre foi um tanto quanto surreal em Cavaleiros do Zodíaco, foi a retratação da idade dos Cavaleiros. Não somente é bizarro que os Cavaleiros de Bronze tenham em média 13 anos, de acordo com a matemática, como quando Shura, de Capricórnio, assassinou Aioros, o Cavaleiro tinha apenas 10 anos de idade.

 

Já faz algum tempo que nós sabemos que, na verdade, teríamos uma 13ª armadura de ouro no anime de Next Dimension, o Cavaleiro de “Serpentário”, Odisseu de Ofiúco.

 

Um detalhe que muita gente não sabe é que Ikki foi o único Cavaleiro de Bronze que conseguiu ampliar seu Cosmos ao ponto de usar a Armadura de Fênix. Nem antes, nem depois dele, existiu outro cavaleiro com essa capacidade.

 

Conta a lenda que o rei do pop Michael Jackson era tão fã da série que as armaduras dos cavaleiros serviram de inspiração para a tour do cantor “World History”.

 

O diretor fracês do remake “Fúria de Titãs” (2010), Louis Leterrier, se declarou fanático do desenho e confessou que as armaduras utilizadas no filme foram inspiradas na série japonesa como uma forma de homenagem.

 

Eles viraram mania nacional e durante os dois primeiros anos manteve uma audiência média na casa dos 16 pontos, garantindo o segundo lugar isolado de audiência nas suas duas exibições diárias. A série ia ao ar pela manhã, dentro do Dudalegria e era reprisada no final da tarde, no Clube da Criança. Com a extinção desses dois programas, manteve seus horários originais, mas como um programa solo na grade de programação. Ia ao ar às 10h15 e 18h15, cada seção com 45 minutos de duração.

 

Então galera, lembravam ou já conheciam essas informações?

 

 

 

 

Anúncios

MEUS MELHORES DESENHOS DA HANNA-BARBERA NA FINADA TV MANCHETE

E aí galera, tudo bem com vocês?

 

Os Herculóides

É um desenho animado que misturava ação, aventura e ficção cientifica, focado num grupo perdido no planeta Quasar e que são constantemente atacados por forças malignas que tentam se apoderar do planeta.

Para defender o planeta o grupo conta com Zandor, líder do grupo, Tara a mulher de Zandor e o filho do casal chamado Dorno, que se utilizam de um escudo de diversas utilidades e uma funda (estilingue ou bodoque).

Eles ainda contam com a ajuda de Igoo, um macaco gigantesco de pedra, que possui uma enorme força física, Tundra um rinoceronte pré-histórico que lança pedras através de seus chifres, Zok um dragão voador que solta raios pelos seus olhos e cauda e que também serve como meio de locomoção e finalmente com Glup e Glip uma dupla de criaturas que podem adquirir qualquer forma e também de se multiplicar.

A série possui 36 episódios originais que foram transmitidos entre 1967 e 1969 e 11 episódios criados em 1981 e 1982.

 

Space Ghost

O herói intergaláctico usava uma roupa branca, máscara preta, tendo a capacidade de voar e ficar invisível, graças ao seu cinto de invisibilidade que também lhe concedia superforça. Space Ghost tinha ainda, em cada pulso, um bracelete com botões que, quando pressionados, emitiam raios com várias funções, entre elas, a projeção de escudos de força. Com muita concentração ele podia também se teleportar, transformando todos os átomos de seu corpo em energia. Mesmo com a capacidade de voar, Space Ghost tinha uma espaçonave, chamada de Cruzador Fantasma, que podia atingir altas velocidades e estava sempre equipada com inúmeros armamentos de tecnologia avançada. Em suas aventuras, patrulhando as galáxias, Space Ghost contava com a ajuda dos gêmeos Jan, Jace e o macaco Blip, entretanto ele só apareceria na década de 1980. Os três possuíam um cinto de invisibilidade, um aparelho de comunicação e um pequeno jatinho nas costas que os fazia voar. Jan e Jace tinham ainda, uma espécie de motocicleta voadora.

História

No final da década de 1960, a emissora americana CBS, que estava perdendo audiência para ABC, encomendou um desenho de ficção-científica com heróis dotados de super-poderes. A Hanna-Barbera que só tinha experiência com desenhos leves (exceto Jonny Quest), não tinha uma equipe de roteiristas e desenhistas com prática nessa área, mas aceitou o desafio.

A produtora contratou o desenhista Alex Toth, que já havia desenhado gibis de super-heróis como o Flash e Lanterna Verde para a DC Comics. Toth havia criado HQs para a EC Comics, nos anos 50 e quadrinizado diversos filmes e séries de TV como Zorro e Rio Bravo. Ken Spears e Joe Ruby foram chamados para roteirizar o desenho. Toth tomou como base o herói dos quadrinhos da Marvel, The Spectre, e criou um herói espacial chamado Space Ghost.

Em 1991, Space Ghost apareceu na TV Manchete, numa faixa intitulada Sessão Animada. Em 1993 começou a fazer parte do Clube da Criança, agora apresentado por Mylla Christie.

A série possuí 2 temporadas com 42 episódios de 30 minutos.

 

Frankenstein Jr.

Frankenstein Jr. foi criado pelo jovem cientista Bob Conroy (um garoto muito inteligente) com ajuda de seu pai, o experiente cientista Dr. Conroy. O gigantesco robô possuí grandes habilidades, como voar através de jatos embutidos em seus pés, além de poder emitir raios destruidores através dos dedos das mãos. Assim, quando o mundo está correndo perigo, Bob aponta seu anel de controle remoto e ativava Frank, sentando no ombro do robô e os dois saem do laboratório para combater o mal.

História

Em 1966 Hanna e Barbera criaram uma animação baseada no romance do Moderno Prometeu, escrito por Mary Shelley em 1817, onde a escritora britânica narra a história de Victor Frankenstein, e do seu monstro de laboratório. Mesmo se tratando de um romance aterrorizante, a figura amável do Monstro já tinha uma aproximação grande com o público infantil e a ideia de transformá-lo em super-herói e fazê-lo lutar pelo bem foi usada no desenho. A animação transforma o monstro do livro num gigantesco robô com super poderes, pronto para combater todos os tipos de vilões.

A série possuí 1 temporada e 18 episódios com 7 minutos. Com grande frequência foi transmitido junto com Os Impossíveis.

 

Jackson 5ive

A história do desenho narra as aventuras da dançante família Jackson, acompanhada do empresário Berry Gordy, proprietário da gravadora Motown. Junto ao grupo estavam os intrigantes animais de estimação Ray e Charles, um casal de ratinhos, e Rosie, uma cobra cor-de-rosa.

As histórias giravam em torno de Michael Jackson, o menor dos irmãos, mas que sempre se colocava em situações complicadas. O desfecho das histórias sempre acontecia na linguagem do videoclipe, executando alguma de suas canções, sob um visual psicodélico, repleto de cores e formas, intercalando cenas do episódio, geralmente com perseguições e diversas outras situações de risco.

História

Com o sucesso estrondoso que Os Jacksons faziam em todo o mundo a Rankin/Bass, que já tinha produzido o desenho The Beatles, levou o grupo para às telinhas em formato de desenho animado. Arthur Rankin e Jules Bass são mais conhecidos por produzirem as séries animadas ThunderCats e Silver Hawks.

O desenho Jackson 5ive, foi exibido originalmente pela rede americana ABC entre novembro de 1971 e novembro de 1973, com 2 temporadas e no total 23 episódios de 30 minutos.

 

Os Impossíveis

O grupo que protagonizava a série era formado por Coil O Homem Mola, Multi-Homem e Homem-Fluído, um trio de roqueiros integrantes de uma banda que esconde secretamente a identidade de um grupo de super-heróis. Assim que alguma ameaça ocorra, a equipe entra em ação e se transforma para combater os vilões. O grupo se chamava “Os Impossíveis” tanto em sua versão roqueira como quando exibiam seus superpoderes contra o crime. Já O visual dos heróis antes da transformação era o das bandas da época.

História

No dia 10 de setembro de 1966, era lançado um clássico dos desenhos animados baseado nos costumes da época, explorando com ironia duas modas da década de sessenta, os grupos de rock e os super-heróis.

O programa era exibido na rede norte-americana CBS, junto com outra animação, o Frankenstein Jr. durou 1 temporada com 36 episódios de 7 minutos.

 

Então galera, lembram desses desenhos? Parece que estou ficando velho… hehehe