CALDEIRÃO MÁGICO E O PERÍODO DE QUEDA E RENASCIMENTO DA DISNEY

E aí galera, tudo bem com vocês?

Caldeirão mágico

O Caldeirão Mágico é o vigésimo-quinto clássico do catálogo de filmes da Disney, e o sexto filme da “Era Negra” que iniciou no final dos anos 60, época em que a empresa passou por uma das piores crises financeiras da sua história. Terminando no final da década de 80, com o sucesso do clássico A Pequena Sereia, lançado em 1989, começando com a chamada “Era Renascentista“.

Ainda em 1972 a Disney havia pensado em adaptar O Hobbit, de J. R. R. Tolkien, mas desistiram da ideia, pois não possuíam os direitos do livro, que naquele momento já eram da Warner desde 1969.

O roteiro foi baseado vagamente nos dois primeiros livros da série de livros As Aventuras de PrydainO Livro dos Três (1964) e O Caldeirão Negro (1965), ambos de Lloyd Alexander.

No final, o desenho realmente possuí alta qualidade em alguns quesitos de sua produção, sendo o primeiro a utilizar efeitos digitais na empresa e terminando com a era de xerografia. 

Por outro lado, possuí muitos erros de edição, além de ser duramente criticado por não seguir as histórias dos livros que servem de inspiração.

Na minha opinião ele é regular, não chega a o nível de clássicos, como Rei Leão, Branca de Neve e A Bela e a Fera, mas certamente valem os 80 minutos na frente da telinha para conhecer essa pérola da história do Walt Disney.

 

Já conheciam esse desenho e a história que faz parte dele?

Anúncios

REI LEÃO E SHAKESPEARE

E ai galera, tudo bem com vocês?

Quem ainda não assistiu o clássico Rei Leão está perdendo tempo, ele está no meu TOP 10 melhores filmes de todos os tempos, porém isso é fato consumado para a maior parte do mundo. Agora nesse post vou falar das principais inspirações para o roteiro desse nostálgico desenho da Walt Disney.

Quando entrou em produção, O Rei Leão era um pequeno projeto sem muito interesse e investimentos. Na época, a ideia era produzir um filme realista sobre os leões no seu habitat natural (Assim como os canais de documentários). Poucos envolvidos no projeto acreditavam no seu exito, incluindo o produtor Don Hahn que encontrou dificuldades em convencer os artistas do estúdio a participarem do mesmo. Durante seu período de  produção foi considerado um projeto nível B no estúdio, sendo as maiores atenções destinadas à POCAHONTAS.

 

TAO horizontal

 

Os diretores Roger AllersRob MinkoffDon Hahn focaram na criação do desenho, juntamente com os diretores Gary Trousdale e Kirk Wise de A Bela e A Fera. Dessa reunião desenvolveram a história de um jovem príncipe que tem o seu reino tomado pelo seu tio, após matar o seu pai, assim o príncipe foge com medo. Após muito tempo longe decide voltar par casa, através da ajuda do fantasma do seu pai.

Só que a comparação pode ficar ainda mais interessante quando a gente descobre que Hamlet também é uma obra que usou outra história como base. Pois é, Shakespeare se inspirou em uma lenda nórdica, que conta a história de um personagem chamado Amleth.

Nessa lenda, Amleth é um príncipe da Dinamarca, que tem o pai assassinado pelo próprio irmão. O tio do príncipe então se casa com a mãe de Amleth e toma o controle do reino. Dessa forma, Amleth é banido e enviado para a Inglaterra, após um período retorna convicto a matar o seu tio e tomar seu lugar no trono.

A lenda ficou mais conhecida na Europa graças a um texto do século XIII que narrava a história do príncipe, escrito pelo autor dinamarquês Saxo Grammaticus. E apesar de a história ser praticamente idêntica, existem diferenças pontuais, sendo a principal delas o temperamento do protagonista. Enquanto Amleth se torna um forte guerreiro que está completamente decidido a matar o tio, Hamlet é uma figura que passa boa parte da história em conflito, sem saber se é capaz de vingar a morte do pai.

 

TOP Sport

 

Recordando de O Rei Leão, sabemos que Simba após crescer, decide retornar ao reino e tomar seu lugar no trono. Ele é corajoso e destemido, assim termina enfrentando seu tio e o derrotando. No fim das contas, O Rei Leão é mais parecido com Amleth, devido a sua personalidade, do que a peça de Shakespeare.

Apenas lembrando que essas comparações, ficam apenas como inspirações, pois todas as produções de que falamos fazem parte de nichos diferentes.

Alguém já sabia dessas informações?

UNIVERSO MARVEL

E aí galera, tudo bem com vocês?

universo Marvel

O Universo Marvel é retratado como existente dentro de um multiverso composto por outros universos separados, todas de criação da Marvel Comics.

Embora o conceito de um universo partilhado não fosse novo ou único em 1961, Stan Lee, Jack Kirby e Steve Ditko, dentre outros, criaram diversos títulos em que o conteúdo das histórias acontecida num deles tinha repercussões nos restantes. As séries continuas permitiam que os personagens apresentassem diversas mudanças, era frequente o herói principal de um título aparecer em outras histórias, mesmo que fossem pequenas aparições ou grande papel na história que era narrada. A certa altura, alguns destes heróis também integraram títulos de equipes. Não se tratava da primeira vez que os personagens da Marvel interagiam .

Ao longo dos tempos, alguns escritores da Marvel convenceram os seus editores a incorporar a ideia de um multiverso, assim Permitindo criar vários universos fictícios que, de um modo geral, não se sobrepunham. O que acontecia na Terra do principal universo Marvel não influenciava os acontecimentos numa outra Terra de outro universo. No entanto, alguns argumentistas escreveram histórias em que personagens de um universo visitavam outro universo e interagiam com os deus personagens, o que era encarado editorialmente como um crossover.

Principais heróis

  • Homem de Ferro/Tony Stark
  • Viúva Negra/Natasha Romanoff
  • Capitão América/Steve Rogers
  • Ciclope/Scott Summers
  • Fera/Henry Mccoy
  • Professor X/Professor Charles Xavier
  • Demolidor/Matt Murdock
  • Falcão/Samuel Wilson
  • Namor/Namor McKenzie
  • Máquina de Combate/James Rhodes
  • Tocha Humana/Jim Hammond
  • Motoqueiro Fantasma/Johnny Blaze
  • Elektra/Elektra Natchios
  • Surfista Prateado/Norrin Radd
  • Colossus/Piotr Rasputin
  • Jean Grey/Garota Marvel/Força Fênix
  • Emma Frost
  • Hulk/Bruce Banner
  • Gavião Arqueiro/Clint Barton
  • Feiticeira Escarlate/Wanda Maximoff
  • Soldado Invernal/James Buchanan “Bucky” Barnes
  • Visão
  • Thor Odinson
  • Justiceiro/Frank Castle
  • Punho de Ferro/Daniel “Danny” Thomas Rand-K’ai
  • Blade/Erik Brooks
  • Star-Lord/Peter Quill
  • Rocket Raccoon
  • Gamora
  • Drax, O Destruidor/Arthur Sampson Douglas
  • Groot
  • Mulher Invisivel/Susan Storm
  • Mulher Hulk/Jennifer Walters
  • Vampira/Anna Marie
  • Dr. Estranho/Stephen Strange
  • Vespa/Janet Van Dyne
  • Mercúrio/Pietro Maximoff
  • Miss Marvel/Carol Danvers
  • Tempestade/Ororo Munroe
  • Wolverine/Logan Howlett
  • Senhor Fantástico/Reed Richards
  • Coisa/Ben Grimm
  • Deadpool/Wade Wilson
  • Homem-Aranha/Peter Benjamin Parker
  • Homem-Formiga/Henry “Hank” Pym
  • Pantera Negra/T’Challa
  • Gambit/Remmy LeBeau
  • Luke Cage/Luke Cage

Grupos

  • Os Defensores
  • X-Men
  • Novos Mutantes
  • X-Factor
  • Excalibur
  • X-Force
  • Quarteto Fantástico
  • Inumanos
  • Vingadores
  • Vingadores da Costa Oeste
  • Jovens Vingadores
  • Tropa Alfa
  • Thunderbolts
  • Heróis de Aluguel
  • Guarda do Infinito
  • Os Supremos
  • Guardiões da Galáxia

 

Já conheciam essas informações?

 

CLUBE DA LUTA E SEU CAPITALISMO

E ai galera, tudo bem com vocês?

clube da luta

Sem duvidas, esse filme acabou sendo um gatilho em vários aspectos da minha vida, na primeira vez que assisti, o que mais chamou atenção foi o plot twist final. Mas após algum tempo ele passou a criar questionamentos reais, assuntos que até hoje me fazem analisar minhas escolhas e pontos de vista.

O Plot Twist

O narrador, como o conhecemos no início do filme, é um homem triste, sem expectativas. Cumpre suas obrigações com a sociedade, possuí um emprego padrão, casa própria e consome tudo que é comercializado em propagandas, no entanto é extremamente infeliz, o que resulta numa insônia sem fim.

Um pouco antes de conhecer Tyler durante um voo, ouvimos no seu monólogo que deseja que o avião caia. Uma pessoa desesperada, que não encontra nenhuma outra saída para essa vida angustiante. Encontrar Tyler muda o seu rumo, uma vez que este o incentiva a mudar sua percepção e deixar sua antiga vida para trás.

Eles são opostos em tudo, o que fica claro, nas suas casas. O narrador vivia num apartamento de classe média alta, cuidadosamente decorado, que foi destruído pela explosão e teve que se mudar para a casa ocupada por Tyler. Extremamente chocado com a mudança, começa a se adaptar e vai se desconectando do mundo exterior, até deixa de ver TV.

A convivência muda visivelmente o narrador, que perde o controle físico passando a ir para o trabalho sujo e perde dentes. Ele enfraquece cada vez mais, enquanto sua outra personalidade se torna cada vez mais forte. A queimadura na sua mão é um símbolo do seu poder, uma marca permanente da sua filosofia. Não podemos ocupar nossa mente com distrações, é necessário sentirmos a dor e agirmos sobre ela.

Como fica claro no diálogo entre as duas personalidades, Tyler é tudo o que o narrador queria ser. Impulsivo, corajoso, disposto a lutar contra o sistema. Trata da sua revolta e do seu desespero perante a rotina e o estilo de vida que levava,sendo criado para mudar tudo o que o narrador não conseguia sozinho.

Capitalismo

E ainda é uma crítica direta para nossa sociedade consumista, na qual vivemos e os efeitos que ela provoca. O filme nos mostra várias marcas famosas e o modo como o narrador e os demais consomem esses produtos com o objetivo de preencher um vazio interior.

O narrado gasta quase todo o seu tempo trabalhando e quando está livre, não possuindo ninguém, acaba gastando o seu dinheiro em bens materiais. Sem nome, este homem é uma representação do cidadão comum, que vive para trabalhar e juntar dinheiro para depois gastar em coisas que não precisa, mas que a sociedade pressiona a ter cada vez mais (Incrivelmente, mesmo passados 19 anos essa representação é perfeita para a atualidade).

Analise

Apesar de não ter feito sucesso na sua estréia em 1999, hoje possuí muitos adeptos e se tornou cult. Suas atuações foram destacadas, Edward Norton (A Outra História Americana) nos entregou uma atuação com varias nuances, literalmente vivendo duas pessoas diferentes. Enquanto Brad Pitt (Seven e Onze homens e Um Segredo) mais despojado, encarnou um delinquente astuto com muita propriedade.

Além de David Fincher que dirigiu essa obra extremamente complexa, que mudou seu status na história.

Esse é um filme que indico para todos, com toda certeza ele está na minha lista dos dez melhores filmes da história.

Alguém ainda não viu?

 

SEGREDOS DO CINEMA: POR QUÊ O 3D NÃO FAZ SUCESSO NOS CINEMAS?

E ai galera, tudo bem com vocês?

Avatar 1

História

Essa tecnologia que hoje é amplamente conhecida e muito utilizada no cinema, tem uma longa história. No século XIX foi patenteada, mas somente em 1922 aconteceu a primeira produção. The power of Love foi um filme mudo, preto e branco que não impressionou o público, tendo sido exibido apenas duas vezes em 3D.

Em 1952, o filme Bwana Devil estreou sendo amplamente rejeitado pela critica, mas o público em geral gostou da ideia de ver filmes em 3D. Em 1953 os estúdios Walt Disney lançavam o primeira desenho animado em 3D, Melody.

Apesar do relativo sucesso inicial, as pessoas com o tempo passaram a rejeitar a tecnologia, já que ela costumava ter o valor mais alto que o normal e causavam frequentes enjoos em seus espectadores.

Nos anos 80 alguns projetos envolvendo a tecnologia IMAX (Filmes gravados em 70mm), Disney e Michael Jackson iniciaram uma nova era do 3D. Mas apenas em 2004 com The Express Polar, que atingiu números expressivos nas bilheterias que os grandes estúdios passaram a investir pesado. Em 2006 o filme Superman Returns foi totalmente gravado em 2D e transformado em 3D na pós produção e isso realmente iniciou essa nova fase.

James Cameron que no passado já havia produzido um especial para Terminator 2: Judgment Day para os parques da Disney, colocou o projeto Avatar em pratica, já que nessa altura acreditou que era possível produzir todas as características para essa produção. E sem duvida alguma ele atingiu o sucesso, sendo o primeiro filme a atingir a marca de 2 bilhões nos cinemas.

Produções bem sucedidas

Nesses quase dez anos de utilização do 3D nas produções, existem algumas produções que realmente foram produzidas com esse tipo de tecnologia, a seguir uma lista deles:

  • Avatar
  • Hugo (A invenção de Hugo Cabret)
  • Hobbit
  • Resident Evil Retribution
  • Life of Pi (As Aventuras de Pi)
  • Ready Player One (Jogador número 1)

Mas na grande maioria das vezes, a tecnologia é colocada apenas na pós produção e dessa forma poucas cenas são vistas. Assim como no passado essa tecnologia envolve custos maiores nas salas de cinema, para os espectadores que na maioria das vezes precisa desembolsar o dobro do valor nos ingressos e para os cinemas que precisam adquirir os óculos responsáveis, além da higienização e embalagem necessários a cada exibição.

Dessa maneira, a grande população acaba preferindo assistir o filme em 2D e essa opção se realmente fosse bem utilizada iria melhorar muito a qualidade dos filmes, tornou-se apenas um problema.

Alguém aí assistiu mais algum filme que utilizou o 3D muito bem?

ESPECIAL CAVALEIROS DO ZODIÁCO

E aí galera, tudo bem com vocês?

CDZ

Nesse post especial vou falar de Cavaleiros do Zodíaco, que sem duvida alguma foi a primeira série que me prendeu na televisão, lembro que no seu auge a finada Rede Manchete exibia em dois turnos a animação e alguns momentos, ainda utilizou horários nobres, tanto foi o sucesso alcançado. As brincadeiras da escola, a conversa com os amigos, reuniões de família e tudo o que envolvia a infância naquele período era lembrado e muito discutido. Outra referência muito importante da época foram as revistas Herói, que contavam muitas histórias e curiosidades da animação, além de outros desenhos e séries do momento. Acredito que por se tratar de um desenho de ação (bastante sangue e violência) com referências da cultura grega, que até aquele momento nunca havia sido explorado, tenham conquistado tantos fãs em todo o mundo.

 

Um pouco da história

A história acompanha cinco guerreiros místicos denominados “Cavaleiros”  que lutam vestindo Armaduras Sagradas, derivando dos desenhos das várias constelações, as quais os personagens adotam como seus destinados símbolos protetores. Esses cavaleiros juraram defender a reencarnação da deusa grega Atena (Saori) em sua batalha contra outros deuses que querem dominar a Terra.

Tanto o mangá principal quanto a adaptação do anime fizeram muito sucesso em vários países europeus e latino-americanos, como França, Itália, Espanha, Portugal, México, República Dominicana, Peru, Argentina, Colômbia, Equador, Chile e Brasil. Quatro filmes foram mostrados nos cinemas japoneses em 1987-1989. O anime foi cancelado e ficou inacabado em 1989, deixando uma saga do mangá sem animação. No entanto, em 2002, a Toei Animation continuou o anime na forma de três séries de OVA (a última acabou em 2008), a fim de adaptar os arcos restantes do mangá, acompanhando este renascimento da franquia, um quinto filme foi exibido em 2004. Um sexto filme (que é em CGI) estreou no Japão no dia 21 de Junho de 2014, e teve sua estreia nos cinemas do Brasil em 11 de Setembro de 2014.

 

Algumas curiosidades

Quando Masami Kurumada estava no processo de criação do mangá, o nome do cavaleiro de pégaso seria Rin, e o título “Ginga no Rin” (Rin da Galáxia). Depois Kurumada mudou o nome do personagem para Seiya, por julgá-lo mais adequado, isto porque em kanji, Seiya significa “flecha estelar” (uma referência à constelação de sagitário, signo de Seiya e do próprio Kurumada). Finalmente, o título foi mudado para Saint Seiya porque os defensores de Atena seriam chamados de “santos cavaleiros.

 

No Brasil, o lançamento da série em 1994 foi responsável por mudar a maneira que o público assistia animes, desencadeando uma “anime-mania”. Em outros países latino-americanos (como por exemplo, no México e na Argentina) o sucesso também foi grande. Tanto o anime quanto o mangá foram lançados na China, Hong Kong e Taiwan nos anos 90, dando início à adoração da animação japonesa e do mangá nesses países.
A ideia de utilizar mitologia como pano de fundo serviu de inspiração para outros animes como Samurai Warriors e Shurato.

Pode afirmar-se que a série deu contribuições especiais no desenvolvimento da cultura japonesa de mangás e animes. É a mais importante e antiga origem para Doujinshi junto com Captain Tsubasa, que acabou crescendo numa subcultura periférica significativa de anime e mangá. Os grupos Doujinshi têm atualmente um grande número de membros no Leste Asiático, América do Sul e Oeste Europeu.

 

 

Apesar de ser baseada na mitologia dos zodíacos, a série apresenta elementos de diversas outras mitologias e Religiões. Essa mistura é explicada pelo Hipermito (uma teoria com informações sobre o enredo da série, lançado em 1988 com o objetivo de explicar dúvidas deixadas pelo anime e pelo mangá).

 

Os Cavaleiros de Ouro vêm de várias localidades espalhadas pelo mundo inteiro. E como representante brasileiro dentre os guerreiros dourados, temos o Cavaleiro de Touro, Aldebaran.  Talvez isso venha a explicar o “jeitinho” que ele deu pra deixar Seiya e seus amigos prosseguirem.

 

Uma coisa que sempre foi um tanto quanto surreal em Cavaleiros do Zodíaco, foi a retratação da idade dos Cavaleiros. Não somente é bizarro que os Cavaleiros de Bronze tenham em média 13 anos, de acordo com a matemática, como quando Shura, de Capricórnio, assassinou Aioros, o Cavaleiro tinha apenas 10 anos de idade.

 

Já faz algum tempo que nós sabemos que, na verdade, teríamos uma 13ª armadura de ouro no anime de Next Dimension, o Cavaleiro de “Serpentário”, Odisseu de Ofiúco.

 

Um detalhe que muita gente não sabe é que Ikki foi o único Cavaleiro de Bronze que conseguiu ampliar seu Cosmos ao ponto de usar a Armadura de Fênix. Nem antes, nem depois dele, existiu outro cavaleiro com essa capacidade.

 

Conta a lenda que o rei do pop Michael Jackson era tão fã da série que as armaduras dos cavaleiros serviram de inspiração para a tour do cantor “World History”.

 

O diretor fracês do remake “Fúria de Titãs” (2010), Louis Leterrier, se declarou fanático do desenho e confessou que as armaduras utilizadas no filme foram inspiradas na série japonesa como uma forma de homenagem.

 

Eles viraram mania nacional e durante os dois primeiros anos manteve uma audiência média na casa dos 16 pontos, garantindo o segundo lugar isolado de audiência nas suas duas exibições diárias. A série ia ao ar pela manhã, dentro do Dudalegria e era reprisada no final da tarde, no Clube da Criança. Com a extinção desses dois programas, manteve seus horários originais, mas como um programa solo na grade de programação. Ia ao ar às 10h15 e 18h15, cada seção com 45 minutos de duração.

 

Então galera, lembravam ou já conheciam essas informações?

 

 

 

 

SEGREDOS DO CINEMA: JORNADA DO HERÓI

E ai galera, tudo bem com vocês?

Jornada-do-Heroi

Nesse post vou falar um pouco de como acontece a formação de uma história, podendo ser retratada em filmes, livros, séries e novelas.

A jornada do herói é uma concepção presente em narrativas mitológicas. Quem difundiu o conceito foi o antropólogo Joseph Campbell, grande pesquisador da escrita, que possibilitou o entendimento desse tipo de narrativa.

E precisa ficar bem claro, que nem sempre é seguido esse modelo de forma linear ou até mesmo todas as suas etapas.

Existem muitos exemplos clássicos desse tipo de história:

  • Matrix
  • Senhor dos Anéis
  • Avatar
  • Star Wars

Abaixo estão basicamente os doze passos da jornada:

Mundo comum – É o ambiente que o personagem ou herói conhece bem, a zona de conforto.

O chamado da aventura – É o ponto quando o herói se dá conta de que as coisas à sua volta vão mudar.

Recusa do chamado – O personagem recusa ou demora a aceitar o desafio ou aventura.

Palavra do mentor – É quando o herói encontra o mentor, que o convence a aceitar o chamado e passa a ser o responsável pelo desenvolvimento de suas habilidades.

Travessia do limiar – Ponto no qual a pessoa deixa os limites conhecidos de seu mundo e se aventura em um ambiente novo, desconhecido e perigoso.

Aliados e inimigos – Quando entra no novo mundo, o herói enfrenta testes, encontra aliados e enfrenta inimigos. Assim, ele aprende as regras desse ambiente.

Fronteira de perigo – O herói tem êxito nas provações e segue a jornada. Ele chega, então, a outra fronteira. Um lugar mais perigoso, onde está o objeto de sua busca.

Provação difícil – A maior situação de crise da aventura. É o momento de maior tensão, que pode pôr tudo a perder ou definir o êxito da jornada do herói.

Recompensa ou elixir – O herói enfrentou seu maior desafio, se sobrepôs ao seu medo e obtém uma recompensa.

O caminho de volta– O caminho de volta é onde começa o terceiro ato da trajetória. O herói ainda está no mundo novo e corre perigo.

Ressurreição do herói– Outro teste no qual o herói enfrenta a morte e deve usar tudo que foi aprendido.

Regresso com o elixir– A volta para o ambiente original. Metáfora para o líder que aprendeu algo novo e agora tem a chance de dividir o seu conhecimento.

Já tinham conhecimento desse tipo de narrativa das histórias, comentem aí!